Pesquisar este blog

Carregando...

1.05.2011

Você conhece a Castanha de Baru???


A Castanha de Baru

Grande parte da área central do Brasil é coberta pelo Cerrado, um bioma com vegetação típica, incluindo árvores e arbustos que são especialmente resistentes ao clima seco. No Brasil o Cerrado forma um bioma similar às savanas da Austrália e África, com flora ainda mais diversa e expressiva.

O baruzeiro (Dipteryx alata Vog) é uma planta leguminos

a arbórea nativa do Cerrado. Seus frutos amadurecem entre Setembro e Outubro, e contém uma castanha com um sabor delicado e agradável, conhecida como Castanha de Baru.

Grandes áreas do cerrado estão sendo transformadas em fazendas com a introdução da monocultura da soja e cereais. Além disso, com

o a madeira do baruzeiro é usada no setor de construções, sua sobrevivência está ameaçada devido à extração de madeira para comercialização. Por essas razões, o baru está em risco de extinção, mesmo existindo leis relacionadas à proteção e preservação do meio ambiente que protegem as espécies nativas do Cerrado.

A castanha de baru, quando torrada, tem sabor semelhante ao amendoim ou castanha de caju. Tem valor nutricional alto, e contém cerca de 26% de proteínas. Pode ser consumido inteiro ou para o preparo de receitas de doces típicos, como o pé-de-moleque e paçoquinha, ambos com rapadura, leite condensado e castanhas torradas.

O baru pode ser conservado facilmente em temperatura ambiente, porque se a fruta for estocada adequadamente, as propriedades físico-químicas da castanha permanecerão as mesmas por cerca de três anos. Não existe comercialização ou utilização da polpa da fruta do baru, apesar de suas propriedades organolépticas e nutricionais.

É possível extrair óleo de excelente qualidade da castanha de baru, para utilização como tempero ou como anti-reumático. Apesar de suas propriedades e qualidades, o óleo não é vendido intensivamente no mercado local.

O baruzeiro é também usado em projetos de reflorestamento, po

rque cresce rapidamente, com madeira muito resistente e de excelente qualidade.

Juntamente com outras frutas nativas do bioma cerrado, o baruzeiro é objeto de estudo, pesquisa e experimentos desenvolvidos pela EMBRAPA Cerrado (Empresa de Pesquisa Agropecuária do Ministério da Agricultura).

No Estado de Goiás, próximo à Brasília e ao Distrito Federal, algumas comunidades produzem e vendem castanha de baru, e em algumas cidades a castanha está sendo usada na merenda escolar. Em Pirenópolis a castanha é consumida principalmente pela população rural, especialmente crianças, que se abrigam nas sombras das árvores.

A área de Pirenópolis foi pioneira na exploração comercial do baru e tem ligação histórica com a espécie. Nos últimos dez anos alguns projetos foram ativados no município, para a proteção e promoção do baru. O trabalho que começou com a ação isolada de algumas pessoas na região, hoje já é o carro chefe de duas associações do município: a Associação de Desenvolvimento Comunitário do Caxambu – ADCC e o Centro de Estudos e Exploração Sustentável do Cerrado – CENESC.

Ações da Fortaleza

A Fortaleza da Castanha de Baru está sendo desenvolvida no Estado de Goiás, em particular na área em torno de Pirenópolis, em colaboração com duas associações: a ADCC (Associação de Desenvolvimento Comunitário do Caxambu) e o CENESC (Centro de Estudos e Exploração Sustentável do Cerrado). O primeiro projeto, na região de Caxambu, envolve cinco famílias na coleta, processamento e venda da castanha. O segundo reúne agricultores, pesquisadores e ambientalistas interessados em introduzir técnic

as sustentáveis para gerir os recursos do Cerrado. Em 1988, foi publicado um livro de receitas em Pirenópolis, que explica como fazer pratos típicos usando a castanha de Baru e outras frutas do Cerrado.
O projeto mais importante nessa área envolveu 150 famílias em sete povoados, num programa que envolve a coleta sustentável de castanhas de baru. Graças à Fortaleza, que objetiva reforçar as infra-estruturas necessárias para

o processamento da castanha de baru e sua promoção local e inter

nacional, a castanha tem sido comercializada por alguns agricultores de pequena escala.

Área de Produção

Pirenópolis, Goiás, Centro-Oeste

Segue abaixo receitas onde se utilizam a Castanha de Baru


Receita de Surubim com castanha de baru




Ingredientes

  • 500g de filé de surubim defumado
  • 500g de batata
  • 4 xícaras (chá) de leite
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  • 1/2 colher (chá) de noz moscada
  • 1 colher (chá) de páprica picante
  • Sal a gosto
  • 1 colher (sopa) de castanha de baru torrada
  • 1 colher (sopa) de queijo parmesão
  • 10 alcaparras
  • 1/2 colher (sopa) de azeite

Modo de preparo

  • Em uma panela, coloque os filés de peixe inteiros, as batatas descascadas e cortadas em rodelas e o leite.
  • Cozinhe por 30 minutos.
  • Escorra o peixe e as batatas e reserve.
  • Com o leite, faça um molho branco adicionando a manteiga, a farinha, a noz moscada e a páprica.
  • Acerte o sal e reserve.
  • Distribua as rodelas de batatas pelo fundo de um refratário e coloque o peixe sobre elas.
  • Coloque o molho branco por cima.
  • Triture grosseiramente as castanhas e misture-as com o queijo pramesão.
  • Polovilhe a mistura por cima do prato.
  • Distibua as alcaparras e finalize regando com azeite.
  • Leve ao forno preaquecido a 220C até dourar.

Torta de Banana Prata com Castanha de Baru

Ingredientes

• 2 xícaras (chá) de açúcar
• 4 bananas prata bem maduras, cortadas em rodelas de 0,5 cm
• 1/2 xícara (chá) de castanha de baru picadas grosseiramente
• 3 ovos
• 1/2 xícara (chá) de leite
• 2 colheres de sopa de manteiga sem sal
• 1 colher (chá) de essência de baunilha
• 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
• 1 colher (sopa) de fermento em pó

Modo de Preparo

Aqueça o forno em temperatura alta. Em uma panela coloque metade do açúcar e leve ao fogo para caramelizar. Despeje a calda em uma fôrma para bolo com cerca de 24 cm de diâmetro, espalhando no fundo e nas laterais. Distribua as rodelas de banana e a castanha de baru nas áreas caramelizadas da fôrma e reserve. Bata o restante dos ingredientes no liquidificador até obter uma massa homogênea. Despeje-a sobre a banana e as castanhas e leve ao forno quente por 40 minutos. Desenforme ainda quente.

3 comentários:

Cheff Carla disse...

Nossa que beleza de texto e explicação sobre a castanha de Baru!! amei as receitas!!!!!!!Parabéns!

G. Argom disse...

Não conhecia essa Castanha-de-baru, deve ter um sabor bem característico como qualquer outro fruto do cerrado possui. Particularmente não consigo igualar ou aproximar qualquer sabor de todas os frutos oleaginosos que já pude experimentar, simplesmente acho que cada uma tem a sua particularidade. Em lembrança, castanha-de-caju, castanha-do-pará, amêndoa, noz, pistache, macadâmia, avelã, amendoim, noz-pecã, já pude provar, mas nada parecia em sabor uma com a outra, e em defesa da castanha de caju, esta é imbatível (risos), não que as outras fiquem muito atrás, mas ficam atrás.
Só achei equivocado você comparar o sabor da Castanha-de-baru como algo parecido com o amendoim e a castanha-de-caju, já que ambos têm sabores tão distintos, mas enfim, paladar é paladar, isso é ainda mais característico e único de cada indivíduo.
Achei bem curiosa essa receita do Surubim, falo curiosa porque teria coragem de arriscar caso visse em um cardápio (risos). Até hoje não tive a oportunidade de comer um prato a base de Surubim que me agradasse, Fortaleza, Maceió, Brasília e Goiás, foi onde pude degustar o teleósteo, das duas uma, ou nenhum dos lugares que frenquentei ofereceu um prato de boa qualidade ou os pratos eram de boa qualidade agora o Surubim é que não é saboroso por si só. Abraço meu caro...

Anônimo disse...

Adorei a receita de surubim, mas onde encontrar o surubim defumado em Brasília?
Abçs
Chico Campos