Pesquisar este blog

11.30.2011

Torta de Banana a moda da Dona Antonia...

Torta de Banana a moda da Dona Antonia...


Esta torta de banana leva o nome de torta mais se parece é com um Bolo, esta receita desde que me conheço por gente a minha avó e minha mãe a Dona Antonia ja faziam e fica muito gostosa e saborosa.
Quando se esta fazendo perfuma a casa toda seja ela feita onde for, levo esta receita para onde vou sendo sucesso garantido, ja foi comigo para Hoteis que trabalhei como alguns restaurantes servida em forma individual e com sorvete. Vai para todos que gostam de banana esta delicia de familia...






Ingredientes:
2 colheres de sopa de manteiga
1 xícara de chá de açúcar
3 xícaras de chá de farinha de trigo
1 xícara e ½ de chá de leite integral
6 bananas cortadas em rodelas
1 colher de chá de baunilha
Açúcar e canela para polvilhar





Modo de Preparo:
Bata todos os ingredientes em uma batedeira (menos as bananas ) e misture
Em uma assadeira de fundo falso untada com manteiga e açúcar, despeje a massa




Coloque as rodelas de banana como desejar
Polvilhe com açúcar e canela
Leve ao forno por 40 minutos





Obs.: Se a farinha não tiver fermento, acrescentar 1 colher de sopa de fermento em pó na massa

Tarte Tropéziènne, história, sabor e delicia

Tarte Tropéziènne



HISTÓRIA

Alexandre Micka, desembarcou em Provence em 1945 vindo dos EUA, abre uma padaria em St. Tropez e vende suas pizzas, croissants e bolos, um bolo de creme, a partir de uma receita de sua terra natal, Polônia. Muito perto dali, uma equipe fazendo um filme ”E Deus Criou a Mulher”. Os nomes dos atores e diretor ainda são desconhecidos: Brigitte Bardot, Curd Jurgens, protagonista, Jean-Louis Trintignant, um novato e o jovem Roger Vadim, diretor. O filme iria incendiar o mundo.




Muito rapidamente, Alexandre Micka cuida de refeições para a equipe e o famoso bolo é a cada dia requisitado…




- “Você deve dar um nome para sua sobremesa”, aconselhou um dia BrigitteBardot. ”Por que você não chamá-lo de” a torta Saint-Tropez ”?” Finalmente, Alexandre Micka registrou a patente e marca registrada, nomeando seu bolo ”Pie Saint-Tropez”.
Em 1975, a Saint-Tropez Pie é conhecida localmente, mas a sua distribuição continua a ser ”caseira”. Foi então que Jean-Baptiste Doumeng, apelidado do “Billionaire Vermelho”, com o consentimento de Alexandre Micka, desenvolve e transmite toda a Europa uma ampla campanha publicitária para a comunidade e a “Torta Saint-Tropez” tornou-se famosa!





Ingredientes

200 g de farinha

1 ovo

15 g de açúcar

1 pitada de sal

50 ml de leite

12 g de levedo de cerveja

30 g de manteiga em pomada.




Ingredientes:

Glacê

50 g de manteiga

60 g de açúcar

1 colher de mel.

Ingredientes

(Guarnição)

1/2 litro de creme de confeiteiro (= 1/2 litro de leite - 60 g de farinha - 75 g de açúcar - 1 ovo inteiro - 2 gemas - perfume de baunilha ou raspa de limão)

açúcar de confeiteiro.





Preparação da massa

Fazer uma cova na farinha, colocar o ovo, o sal e o açúcar e misturar bem. Incorporar o levedo diluído no leite. Trabalhar muito a massa. Juntar a manteiga em pomada. Quando a massa se desprender da mão, deixar descansar até dobrar de volume.

O glacê

Derreter a manteiga, juntar o açúcar e o mel, misturar e deixar esfriar.

Untar uma placa com manteiga. Trabalhar de novo a massa e dispor na placa. Apertar e moldar para dar uma forma de disco de 2 cm de espessura. Passar o glacê por cima, com a ajuda de um pincel, e cozinhar em forno quente, preaquecido (200º C), durante 30 minutos. Deixar esfriar.





Cortar a torta em dois discos. Guarnecer o interior com o creme de confeiteiro e salpicar de açúcar de confeiteiro por cima.

O creme de confeiteiro

Trabalhar numa tigela a farinha peneirada, o açúcar, os ovos e a baunilha. Juntar aos poucos o leite e levar ao fogo, mexendo sem parar. Retirar no início da ebulição.